sábado, 24 de julho de 2010

Aquilo a que a lagarta chama fim do mundo, o homem chama borboleta

Quanto tempo deve ter de tempo pra matar a idéia de estar vivo depois de morrer?

Tenho tido medo de um dia saber que morri.
Como pode ser?
Morro toda?
Pode ser que não saiba então?

No tempo depois que páro me esqueço?
Esqueço o que fazia, minhas pessoas, a parte que cheguei do livro, o que ia fazer depois de antes de ir?
E as coisas que ando pensando, que demorei pra pensar? A sensação do que experimentei? A falta do que não pude? A impressão de ainda poder? O som do meu filho que escuto quando não está? O prazer que procuro todo dia? E sinto nem que seja ausente.

Impressão que não.
Não é não.
Quase certeza que não.

Acho que não.

Um comentário:

Tainah Negreiros disse...

não poderia, seria muito desesperançoso e ela nos alimenta.
fico feliz que a conclusão seja não...
vontade de conversar...