segunda-feira, 2 de agosto de 2010

mastigue, curta, roa





7 comentários:

Poesia a Metro disse...

ta onde, Mari?

vamos nos ver? saudades!

Tainah Negreiros disse...

Estar com pais e com filhos é saber que na verdade a gente não morre. E desses encontros imprevistos que seguem de tanta partilha entendemos então da nossa eternidade que é a de não esquecer.

não te esqueço!

Tainah Negreiros disse...

a felicidade cheia de aeiou...

@line disse...

Menina da caverna. Só consegui ver a primeira foto... e já deu vontade de sentar por ali e conversar um pouco, matar saudades, aquela que falamos em matar há tempos... andamos perambulando, levando Joaquim pra conhecer outras terras e outras gentes, pena que o Rio fica pra cima, se fosse aqui pra baixo o encontro seria certeiro! Mas vai ficar mais frente... e que continuemos todos bem e com histórias pra contar!!! Beijos cheios de carinho, nossos pra vcs!!!

paliativo disse...

:-)
saudades

Anônimo disse...

Me.nina.blogspot da caverna eu sou o bicho anônimo da gruta secreta. Ali na quinta pedra do cantinho esquerdo um pouco mais escuro. Eu vivo ali como quem quer voar e não sai do lugar de medo.

mariah disse...

Falando em caverna, estou lendo que a Nasa estuda a possibilidade de os primeiros humanos em Marte vivam em cavernas. A análise da geografia do planeta vizinho ao nosso sugere que navernas nas regiões de Tharsis e no Elísio podem ser utilizadas com esse propósito, Os cientistas brincam que os primeiros habitantes de marte poderiam se chamar "cavernautas". As informações são do New Scientist.

Eu vi esta foto e me lembrei deste texto. Bjs.